Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Sou a prima mais velha de uma turma de 32 primas! Gosto de rir e de fazer rir. Adoro conversar, mas principalmente de ouvir. Beber Mate, vinho e Martini. Ver filme aos sabados com os amigos. Sou fiel aos meus sentimentos e respeito os dos outros. E de escrever, é lógico!

quinta-feira, julho 12, 2007

Cássia Eller

Adoro Cássia Eller, e fez bem ao meu coração falar dela.
Cássia Eller é daquelas pessoas que você ama ou odeia.
Não há meio termo.
Por que ela não passou pela vida olhando pela fresta da janela, ela escancarou todas as portas e janelas.
Maremoto, ondas gigantescas batendo na praia, cavalos selvagens cavalgando pelos campos, crinas levantadas.
Viver furiosamente todas as emoções assusta a quem prefere a mesmice.
Mulher que queria ser homem mas que quis e foi mãe, esfregando o ventre cheio no nariz de quem é pobre de espirito e de pensamento.
Maus costumes? Péssimo exemplo? Não sou eu quem vai julgar.
Gosto daquele ser que vive livre de amarras. Solto.
De vida tão intensa que se acaba precocemente.
Será mesmo que foi precocemente?
Ou foi na hora que era pra ser?
Há pessoas que vem para isso: mexer com nossas cabeças, com o mundo, como chuvas de arrumação, que, quando passa, deixa um lago onde antes havia seca, ou cria um rio onde antes era caminho de pedras, ou derruba morros e cria novos vales.
Vou ter sempre muitas saudades.
Ela e Cazuza devem estar exagerando no céu !!
Uma historinha contada pela própria Cássia:
“Chicão freqüentava a escolinha e não sabia que a mãe era cantora.
No dia que um amiguinho lhe informou, ele chegou em casa e perguntou à mãe:
- Mãe você é cantora?
- Sou, cara.
- Você tem CD?
Cássia colocou pra ele ouvir. Chicão escutou o CD atentamente. Quando as músicas terminaram ele disse:
- Mãe, você não canta! Você grita! Quem canta é Marisa Monte!
Aí Cássia resolveu cantar mais doce.”

Que o Deus venha
(Frejat e Cazuza, sobre texto de Clarice Lispector - canta: Cassia Eller)
Sou inquieta, áspera
E desesperançada
Embora amor dentro de mim eu tenha
Só que eu não sei usar amor
Às vezes arranha
Feito farpa
Se tanto amor dentro de mim Eu tenho,
mas no entanto continuo inquieta
É que eu preciso que o Deus venha
Antes que seja tarde demais
Corro perigo
Com toda pessoa que vive
E a única coisa que me espera
É exatamente o inesperado
Mas eu sei
Que vou ter paz antes da morte
Que vou experimentar um dia
O delicado da vida
Vou aprender
Como se come e vive
O gosto da comida

2 Comentários:

Anonymous engraçadinha disse...

Ai... saudade também.
Eu acompanhei vários shows da Cássia na praia, na uerj com barrigão abanando a barra da saia prá mostrar a barriga (e calcinha - foda-se!), sua evolução como cantora... tenho o primeiro CD dela com a música RUBEM.
Saudade mesmo!
Cassia era tudo de bom e ainda é né?!
Vc podia aumentar a freqüência com q escreve hein zifia?
Quero muito agradecer as fraldas q vc enviou. Senti seu beijo, viu?
Saudades também.

quinta-feira, julho 12, 2007 12:31:00 PM  
Blogger Lila Rose disse...

Legião Urbana e Cássia Eller são minhas grandes paixões, apesar de hoje eu estar encatanda pelo jazz...

No dia que ela faleceu eu estava tomando um suco em uma confeitaria que fica exatamente na porta da clínica onde ela faleceu... em pé no balcão, achei a moça muito parecida com ela, mas logo fui embora.

Ao ver a notícia na televisão, chorei. Acho sim que ela nos deixou cedo demais.

Bisous.

sexta-feira, agosto 10, 2007 6:17:00 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial


Created by Crazyprofile.com